Clínica Maurício Araújo

Categorias
Dentística

O que é Resina Composta?

A resina composta é um material que causam bastante curiosidade. Há muitas perguntas relacionadas a longevidade do tratamento, dúvidas com relação a estabilidade de cor, durabilidade e sobre as características estéticas do material. Alguns questionamentos podem ser facilmente respondidos outros merecem uma conversa com seu dentista para que possam mostrar clinicamente como se faz e como funciona tudo.

Explicando em poucas palavras as resinas compostas são materiais constituídos de uma matriz orgânica, adicionado um agente de união, partículas de carga, além dos agentes iniciadores da reação química. São fotoativadas através da luz do fotopolimerizador, que é um aparelho que faz com que a resina composta endureça.

Atualmente as resinas compostas são os materiais mais utilizados em restaurações diretas, seja em dentes anteriores ou posteriores. Isso porque apresentam características mecânicas e estéticas bastante similares às dos dentes. Existem diversas resinas no mercado que embora se assemelhem na sua composição apresentam pequenas diferenças ópticas que mudam de acordo com o fabricante, que possui seus “segredos”conferindo características especificas para o seu produto.

Mas além da marca da resina existem diferenças com relação ao tipo de partícula que de uma maneira geral impactam no resultado final do trabalho. As resinas compostas podem ser classificadas em:

Resinas de macropartículas que estão atualmente em desuso, pois apresentavam superfícies rugosas e instabilidade de cor.

Resinas de Micropartículas são aquelas que o tamanho das partículas é menor, entre 0,01 μm e 0,04 μm. Em razão disso, geram lisura maior na superfície, porém têm baixa resistência à compressão.

As Resinas Compostas Híbridas que surgiram como forma de se obter, ao mesmo tempo, boa resistência e lisura. O tamanho das partículas vai de 0,05 μm a 5 μm.

A resina composta nanoparticuladas que possuem tamanho de partículas por volta dos 20 nm (ou seja, 0,02 μm), esse tipo apresenta ainda mais lisura e resistência. Apesar de ter mais carga inorgânica, há menos matriz orgânica, o que lhe confere suas características.

As resinas podem ser usadas classicamente para fazer restaurações de dentes anteriores e posteriores, para fechar diastemas, corrigir black spaces, para facetas anteriores e restaurações provisórias.

Para cada situação clínica é exigido que se utilize o tipo de resina mais adequado para aquele procedimento e cada cirurgião dentista é livre para decidir com qual marca trabalhar, o mais importante é que esteja familiarizado com as características ópticas do material escolhido.

Nós da Clínica Maurício Araújo realizamos tratamentos com resinas compostas com as técnicas e materiais mais modernos da atualidade, entre em contato para mais informações.